logo pro blog

30 de jul de 2008

BRTracer

Muito tem acontecido nesses ultimos meses, mas pouco tenho postado aqui, vou tentar explicar todas as mudanças, talvez isso justifique a falta de posts.

Nestes ultimos 2 meses criamos um projeto que chamamos de BRTRACER, e isso tem exigido um tempo para assimilar novamente as coisas relacionadas ao parkour, e no meu modo de ver o mundo dos treinos...


BRTRACER

BRTracer é uma abreviação livre de Brazilian Tracers, e foi criado com o intuito de modelar a experiencia e o aprendizado que tivemos, e ainda temos treinando parkour e trasmitir isso a pessoas interessadas. A ideia não é simplesmente passar o Parkour nú e crú adiante, mas passar junto ao parkour todos os valores morais que obtivemos a partir dessa prática, e que não necessáriamente faz parte do Parkour propriamente dito.

OS TREINOS

Os treinos fixos tem acontecido de forma experimental, trazendo para nós que estamos aplicando os treinos uma experiencia maior sobre como conduzir as turmas, liderar uma equipe, incentivar novatos, e mostrar como levamos aquilo a sério na nossa vida. Não cobramos e nem temos previsão de quando iremos cobrar algo pelos treinos.

Estamos fazendo treinos extremamente físicos, mas sem deixar de passar técnica, fazendo o treino em uma proporção de 70/30 (fisico/tecnico). Estes treinos acontecem 2 vezes por semana e são liderados de acordo com a disponibilidade de cada um dos envolvidos na BRTracer.
Temos feito alguns treinos para pessoas de outros estados, para ganhar opniões sobre o que vemos desenvolvendo ter uma ideia do que melhorar.

"Nem todo mundo é um guerreiro"

Um amigo me disse essa frase quando eu expressava minha agonia quanto a pessoas que treinam por treinar, que não dão seu melhor, e que não exigem o máximo de si. Mas essa é a verdade... Tenho me esforçado o máximo para reconhecer que nem todos estão ali para ser guerreiros! Para viver aquilo! Mas querem fazer apenas alguma atividade diferente, e aprender algo que achou interessante. Meu objetivo maior nesse projeto todo é formar guerreiros, fazer pessoas entenderem como a vida pode ser melhor quando se dedica com vontade ao que faz, mas nem todos vão conseguir abstrair esse sentimento.

Em resumo, quase tudo feito relacionado ao parkour na minha vida tem sido direcionado a BRTracer, para mim agora é como se fosse um trabalho, um emprego onde tenho obrigaçoes, e tarefas, isso pode tornar o parkour desgostoso de inicio, mas é a unica forma que tenho de fazer o que considero minha missão de vida. Passar adiante o beneficio e as mudanças que o parkour fez na minha vida, é minha forma de devolver a essa arte, o que ela me deu.

Abraços!



16 de jul de 2008

Eu e Sofia

Video recente com cenas minhas com a sofia, são poucas coisas mas é um videozinho romantico e fofo, afinal, não é todo casal que treina junto :D


5 de jul de 2008

3o Gub, so what?


É verdade, e daí?
Hoje recebi minha faixa azul ponta vermelha, pelo exame de faixa realizado na ultima sexta feira, e o que isso prova? Absolutamente nada...

Vou explicar melhor, na verdade a maioria das pessoas não deve compreender de primeira meu ponto de vista sobre exames de faixa, e o motivo que eu realmente acho que eu deveria ter pulado da azul para vermelha, e não ter pego a ponteira vermelha como é de regularidade, arrogância? Não acredito que seja.

Fiquei muito chateado quando soube do resultado do exame de faixa, não que me ache melhor que os outros e que deva sair pulando de faixa, na verdade acredito que todo mundo deva cursar TODAS AS FAIXAS INTEGRALMENTE, mas você deve estar se perguntando o porque de eu estar achando ruim? Vou explicar melhor...

No taekwondo exames de faixa são realizados até determinada graduação, de 6 em 6 meses, teoricamente deveriam ser avaliados conceitos extra-exames, como comportamento, dedicação, conduta, respeito, força de vontade, pontualidade, contribuição, e etc.. fora o padrão de exame que são formas(poomsae), defesa pessoal (sebon kyorugi), e luta de competição (kyorugui). Não vou ser hipócrita, tenho total conhecimento de que treino MUITO MAIS e de forma muito mais dedicada do que todos os membros da academia, não que eu seja melhor do que eles por causa disso, mas você vai entender o contexto. Quem me conhece sabe que não treino por treinar, eu vivo o que faço, e amo o que faço, e não faço isso por causa de faixa ou graduação, que isso fique bem claro. Mas vou dar um exemplo, existem dois irmãos na academia que não fazem nada direito, erraram absolutamente tudo no exame, faltam aula, não tem dedicação, e não respeitam o professor, teoricamente deveriam ser reprovados no exame, esperado mais 6 meses e prestar exame novamente para ver se a conduta melhrou, certo? Errado! É ai que me causa problemas, o mesmo garoto que não faz nada e não tem dedicação, passa de faixa sem mérito algum, e alguém que se dedica, treina, acorda 6 horas da manhã (não é apenas o meu caso) para treinar, recebe a mesma “recompensa”.

O Problema que vejo não é apenas comigo, e não é completamente pessoal, mas vejo isso acontecer e se tornar um desrespeito com vários outros membros onde treino! Garotos que lutam muito bem, são destaque em todos os campeonatos, são faixa colorida, mas lutam contra faixas pretas, só ganham medalhas de ouro, mas não recebem nenhum mérito a mais por isso. E é disso que me queixo, não por ter ido para faixa que teoricamente eu deveria ir, mas o problema é que não existe nenhum mérito nisso, eu poderia ter me matado igual um doido como fiz, treinando nos horários mais malucos, sozinho, feriados, e etc... ou não feito absolutamente nada alem de 1 hora por dia 2x por semana na academia, e teria o mesmo mérito. Pular de faixa não quer dizer pra mim ser melhor que quem não pulou, mas quem não faz nada e só alcança o tempo mínimo de treino não deveria ter o mesmo mérito de quem se dedica e corre atrás do que acredita. É falta de respeito com a dedicação e vontade de quem está ali acreditando naquilo.

Mesmo assim só tenho a agradecer meu professor, que acorda tão cedo pra me treinar, e sei que o que eu pago, não é suficiente nem para bancar os gastos da ida dele até a academia, sou muito grato a ele, e sei que essas decisões não são mais dele do que dos outros mestres que compõem a academia.


Paz,